Diário da Giornate 2014 #3 – os filmes do fotógrafo Paul Nadar

banner_diario_giornate_2014

Hoje vou falar sobre mais uma sessão de primeiro cinema que veremos em outubro na Giornate del Cinema Muto, em Pordenone, na Itália. No post passado dessa série, eu comentei um pouco sobre o filme de montanha… E agora deparei os mesmos problemas: falta de informações confiáveis e dificuldade de encontrar fontes de pesquisa. A sessão que eu escolhi para hoje é a de filmes de Paul Nadar.

No site da Giornate, essa sessão é citada sem descrição alguma. O que sabemos é apenas que haverá a projeção de filmes desse fotógrafo. Não encontrei informação sobre ele em nenhum dos meus livros… E na internet há muita confusão entre Paul Nadar e seu pai, Gaspard-Félix Tournachon, também fotógrafo e conhecido como Nadar. Então vamos lá, com o pouco que achei sobre o assunto:

nadar

Auto-retrado de Gaspard-Félix Tournachon, pai de Paul Nadar.

Nadar, o pai (1820-1910), foi muito conhecido por seus retratos de artistas da época, como Charles Baudelaire, Gustave Courbet, Eugène Delacroix e muitos outros. Foi também o primeiro (ou um dos primeiros) a capturar imagens fotográficas de um balão.

Em 1874, Paul passou a cuidar do estúdio de seu pai, em Paris. Na última década do século XIX, ele começou a trabalhar com imagens animadas e patenteou um sistema de projeção. Parece que ele criou duas câmeras diferentes, que usavam películas não perfuradas. Uma delas era de 58mm e a outra de 35. Ele apresentou os projetores ao Musée Grevin com o objetivo de substituir o Teatro Óptico de Émile Reynauld, sobre o qual falei neste post. Mas os aparelhos foram negados por conta do ruído que produziam e acabaram nunca sendo comercializados.

A partir de 1893 ele se tornou um agente da Eastman Kodak na França e parece que produziu, em 1896, pelo menos 6 filmes. Essas películas foram recuperadas por Henri Langlois e a compilação, sob o título Programme Nadar, foi exibida na Cinemateca Francesa em 1970. Algumas são atualidades filmadas na França e outras são danças serpentinas, pelo menos uma delas realizada pela bailarina Loïe Fuller (sobre quem também já escrevi um post).

Loie_Fuller

Cartaz da apresentação de Fuller no Folies-Bergère em Paris.

Imagino que sejam esses filmes o que será exibido nessa próxima Giornate del Cinema Muto. Infelizmente, não tenho mais informações sobre o assunto… Se alguém souber de algo ou tiver indicações de links ou livros, por favor me diga nos comentários! :)

No próximo post da série Diário da Giornate 2014 vou falar sobre os filmes de Méliès coloridos com estêncil. Com certeza será um tema mais fácil!

Para ver todos os posts que eu fiz sobre a Giornate 2013, é só acessar a série Diário da Giornate. Os posts sobre a Giornate 2014 estarão organizados na série Diário da Giornate 2014.

translate this blog

Anúncios

  1. Nossa, gostaria muito de ver esses filmes. Parabéns pela postage! Parece que alguma informação sobre os filmes de Paul Nadar pode ser encontrada no livro “Le monde de Proust vu par Nadar”, de Anne-Marie Bernard.
    No link abaixo, que carece de fontes, há algumas informações interessantes a respeito, como a de que :
    “En Juin 1896, il dépose un brevet avec Eugène Defez pour un “Système d’appareil pour photographier et projeter des images animées”.
    http://cinematographes.free.fr/nadar.html

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s