americanizando o cinema – terceiro dia (10.09.2013) parte 2

banner americanizando o cinema

Agora vou falar rapidamente sobre o lançamento do livro “Americanizando o filme – ensaios de história social e cultural do cinema“, com ensaios selecionados por Adilson Mendes e traduzidos por Augusto Pacheco Calil.

À primeira vista, a publicação parece uma tradução integral do livro “Americaning the Movies and ‘Movie-Mad’ Audiences, 1910-1914”. Esse é o título original que aparece, inclusive, na ficha catalográfica, o que entendi como um erro. Mas na verdade é uma seleção de ensaios que abrangem o período de 1903 a 1916. 

O primeiro texto, “A chegada da Pathé – Filmes franceses criam um mercado para o nickelodeon, 1903-1906”, foi publicado originalmente em “The red rooster scare”. O segundo, “De curiosidade a palácio das imagens: os primórdios da exibição dos filmes” veio do livro “The Wiley-BlackWell History of American Film” (organizado por Cinthya Lucia, Roy Grund-Mann e Art Simon). “Mapas do público dos cinemas: uma colcha de retalhos (1911-1913) veio de “Going to the movies – Hollywood and the social experience of the Cinema” (organizado por Richard Maltby, Melvyn Stokes e Robert Allen). “‘Zip!-Zam!-Zowie!’: Uma nova abordagem para a história do cinema americano institucional” tinha sido publicado na revista “Historical Journal of Film, Radio and Television”. “Ataque e contra-ataque: filmes de guerra ‘documentais’nos EUA, 1914-1916” veio de “Film History”. Só os textos “O ‘passado útil’ dos westerns – Vaqueiro, vaqueira e filmes de índios” partes 1 e 2 foram publicados originalmente em “Americanizing the Movies”. 

Achei bem mais interessante ser uma seleção de ensaios de diferentes fontes, do que se fosse a tradução integral do “Americanizing the Movies”. Como só tínhamos um texto de Richard Abel traduzido para o português (se eu não me engano), que era “Os perigos da Pathé ou a americanização dos primórdios do cinema americano” (publicado em “O cinema e a invenção da vida moderna”), é muito mais útil conhecermos uma compilação de artigos que ilustram um pouco toda a pesquisa de Abel. Seria estranho ter o “Americanizing the Movies” que trata do período de 1910 a 1914 sem ter o “The red rooster scare” que se foca nos anos de 1900 a 1910.

IMG_20130910_204137_698

Richard Abel autografando meu livro

Richard Abel é muito simpático e generoso com os estudantes. Conversei bastante com ele sobre minhas ideias para pesquisar os Hale’s Tours e ele me deu ótimas dicas e se disponibilizou a me ajudar mais ainda depois, por e-mail. Ele também estará esse ano em Pordenone para a Giornate del Cinema Muto, então vou poder encontrar com ele de novo em breve! :)

***

Depois de pegar minha dedicatória, fui correndo para assistir ao filme da sessão, “The Invaders” (Thomas H. Ince, EUA, 1912). Perdi o começo, mas felizmente encontrei uma versão online:

The Invaders, EUA, 1912, DVD, 40 min, d: Thomas H. Ince; cp: Bison-101; e: Francis Ford, Ethel Grandin, Ann Little, Ray Myers, William Eagle Shirt e Art Acord 
O filme é um exemplo do que Abel comentou no curso sobre o aumento da produção de faroestes nessa época, com o objetivo de formar um “público americano” através de temas americanos. As imagens do filme são muito interessantes, principalmente pela participação de índios nativos como atores e pelas paisagens. É interessante notar quem são, afinal, os “invasores”…

***

Para terminar o post de hoje, mais uma foto do Benê, que adora o primeiro cinema:

IMG_20130919_122123

Benê, irritado por ter sua leitura interrompida! haha

No próximo post da série americanizando o cinema, vou comentar o último dia do curso com Richard Abel e a quinta e última sessão de filmes.

Anúncios

  1. Oi, Nina, falei contigo no facebook mas comento aqui também. Você esconde seus tesouros hein, vou te mandar por e-mail o meu projeto de pesquisa, você é cheia de leitura boa mas esconde o jogo! Eu achei o original do Richard Abel no Project Muse, vou ver ainda se está aberto via Periódicos Capes, mas, de qualquer forma, pergunto: você tem ele em pdf?

    Beijos,

    Igor Andrade

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s